Terça-feira
11 Outubro, 2022





Talvez te encontre um dia do mesmo lado da rua a querer
cruzar para a mesma margem 
em busca de um isqueiro que só eu tenho 
com muito frio    e eu cheia de capas 
Até lá nunca é tempo    nunca é sítio
Talvez digas um dia que o teu coração me procurava sem me procurar
e mesmo que desdigas eu compreendo
e voltamos a separar o que já não nos pertence no todo

Talvez um dia nos abracemos sem querer
sem querer deitadas na mesma relva
acidentalmente a comer do mesmo fruto.

Talvez um dia um passeio que não termina
Talvez me peças a meio da noite que me retire
Talvez nos apaixonássemos de um modo novo
Talvez nada disto e não há espaço no teu barquinho
Talvez o que em mim é teu é para plantar algures
Talvez uma mão estendida seja uma mão que acena.